quinta-feira, 7 de agosto de 2008

AS MAIS BELAS MENTIRAS...






A última do Governo Federal, que associado à Fundação Getúlio Vargas e ao IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - ambos subordinados a ele - é fazer-nos engolir que a pobreza diminuiu drasticamente, com um aumento significativo das classes média e alta, por meio de uma grandiosa verticalização da economia, como fruto da ação eficiente do Governo Lula e seus comparsas. Ainda bem que fomos criados acreditando na Carochinha, em Papai Noel e que a Cegonha é quem traz os irmãozinhos para a mamãe. Ainda bem mesmo, caso contrário os quase duzentos milhões de brasileiros se rebelariam contra tanta mentira, tanta esculhambação.
Meus amigos petistas - pode acreditar, ainda os tenho - querem me convencer que se trata da minha posição altamente crítica de decepção com este governo, embora saiba que tivemos alguns avanços. Sutis e delicados, mas avanços. O caso não é este. É que a brutal desconexão do que dizem e a realidade à minha volta, além de não me deixar acreditar, ainda me causa uma espécie de calafrio na espinha. E aprendi que a verdade dos fatos é a que conta e ela é que deve servir de parâmetro para analisar o que dizem as palavras. E ainda mais se elas não parecerem assim tão confiáveis.
Em função do meu trabalho, tenho viajado bastante nos últimos tempos. E por todos os cantos que tenho andado, quer nos rincões do sertão ou nas grandes metrópoles, a situação e a penúria têm sido exatamente as mesmas: as pessoas desesperadas, temerosas, se protegendo contra os novos e sofisticados métodos de violência, perdendo seus empregos e com muito pouca esperança.
Gostaria muito de ouvir falar que as coisas estão, de fato, mudando para melhor, com menos pedintes nas ruas, redução do tráfico e da violência, as pessoas sem dependerem das bolsas-esmolas que que o Governo prefere dar a tocar nos bolsos dos ricos, dos importantes, dos políticos bem pagos para moldarem as mentiras que nos contam e as falácias em que desejam que acreditemos, de preferência, piamente. Mas o que vejo é justamente o contrário: aumento de pobres e carentes, violência galopante, desasistência do Estado inoperante gerando o caos na saúde, na educação, no saneamento, na qualidade de vida.
Consegui guardar alguns trocados, e na condição de classe média alta, pelas contas do governo, quis comprar um pequeno lote, como forma de investimento. Fiquei de cara, fui ridicularizado pelas imobiliárias, saí de mãos abanando. Mas continuam afirmando que os pobres estão adquirindo a casa própria, que os apartamentos populares estão sendo altamente vendidos. Mas onde? Na lua? Pois é o único lugar que eu poderia especular com vistas a aplicar meus minguados picuás num pequeno imóvel para ter alguma segurança no futro, na velhice que se avizinha.
Eu nunca vi este País numa situação tão delicada, tão grave, quase desesperadora. Bom está para o PT, pois, "quem nunca comeu melado, quando come..." Eles estão rindo àtôa e balançando as ridículas panças, claro.
Mas já passa da hora de transcendermos este conjunto de inverdades, este rol de enganação barata, este crime silencioso cometido todos os dias contra todos nós, contra o povo brasileiro já tão sofrido. As Olímpiadas vêem aí e com elas, as medalhas que o Brasil, certamente, até pelo jugo manipulador ganhará muitas. Muito ouro e muita prata para reluzir bem mais que as mentiras que nos contam. Já estamos num clima no qual o esporte é mais importante que tudo. Que os mitos-atletas abarrotam suas contas de dinheiro na mesma proporção em que a platéia torce, pula, esbraveja para esquecer a fome. E daqui há pouco vem a Copa do Mundo, o BBB, o carnaval, as novelas que aí permanecem... É, estamos realmente perdidos...
É preciso que os "Crianças Esperanças" sejam calçados pela verdade por uma programação da Rede Globo que promova, durante o ano todo: a criança, os pobres, as mulheres sofridas, e não, justamente o contrário. Pois esta senhora rede de televisão vive justamente de sugar, de espezinhar a economia, a qualidade de vida das pessoas para vender barato o pão e o circo, como na muito antiga Grécia., pagando milhões para seus artistas loiros, arianos... Que pena que o Brasil não evolui, que os brasileiros não crescem. Que continuamos tão bobinhos, a ponto de não duvidar de nada, não questionar nada.
Pobres de nós que continuamos aí pagando sempre a mesma conta. Sofrendo de todos os males. À espera do horror nosso de cada dia. Quem sabe, amanheçamos desconhecidos e nos transformemos em celebridades. Ainda que banhadas de lágrimas. É só continuarmos acreditando nas mentiras, nas mais belas lendas que nos contam.
____________
Antonio da Costa Neto

2 comentários:

penny stock broker disse...

what happened to the other one?

norma disse...

Caríssimo

Só hoje tive um tempinho para me dar um prazer e vim direto no seu blog, já havia comentado indignada com os alunos sobre tal notícia... creio que não perdemos a sintonia, esses caras estão levando muito "a sério" esse malcaratismo, o que se pode esperar mais?
Virou uma fuzaca geral: o Rio entregue a bandidagem, nosso chanceler fazendo comentários ruinosos (na moita, bem que ele está certo)e agora essa estatística tirada do sovaco da mula. E agora???????????? Norma