sábado, 3 de maio de 2008

TERCEIRO MANDATO: ERA SÓ O QUE FALTAVA



O terceiro mandado para Lula vem aí a galope. As perspectivas de que ele aconteça de fato já foram bem mais longínqüas. Afinal, os grandes empresários deste país estão muito satisfeitos com os bilhões que estão ganhando. O bancos nunca faturaram - roubaram legalmente - tanto. E, é lógico querem continuar ganhando e nada melhor do que a dissimulação democrática do governo Lula para isso.
Por outro lado, a classe popular foi ao paraíso. Com as inúmeras bolsas-esmolas que recebem, consomem bem mais, Trocam a geladeira, compram elotrodomésticos, comem mais carne, se entoxicam muito mais, fazem a indústria pesada a contaminar ainda mais o ecossistema. Mas, afinal, isso não é nada, enquanto todos comem e assistem, ainda que não tão confortavelmente por causa do odor dos esgotos a ceu aberto, o medo da bala perdida, suas televisões de plasma. A coisa mais chique do mundo, o que nunca imaginaram ver e ter.
Só a classe média, os trabalhadores que o PT representa e defende (rs!) é que paga a grande conta. Mas quem é eleitoralmente esta classe? E ainda mais, quem são os poucos exemplares conscentes politicamente dentro dela? Para que servem seus mínimos e desprezíveis votos frente à avalanche dos detentores dos programas sociais do governo e da classe que só vai às urnas depois de manipulada pelos patrões riquíssimos e altamente favorecidos pela farsa que se montou no chamado governo brasileiro.
E de tudo isto, o que mais me dói é lambrar do cinismo babão exercido pelo sr. Presidente. Aquele discurso acalorado e com lágrima nos olhos clamando pela dignidade do povo e a manutenção e a ampliação dos direitos da classe trabalhadora que sustenta o Brasil e o luxo hipócrita das elites, do poder.
Assim a Dilma pode fazer, com pompa e circunstâncias o casamento da filha balsaquiana. O governador do Ceará pode fazer uma pequena turnê pelos melhores hotéis do mundo ouvindo as piadas sem graça de sua sogra faladeira enquanto pagamos as contas, sem que tenham médicos, gase, remédios nos hospitais; professores nas escolas, arroz nas panelas de nossas casas.
Manipulam-se as polícias para que o Caso Isabella não ande e, com isso, se aumente os salários dos parlamentares, o preço do petróleo, o custo de vida e continuem enganando o povo perpléxo com a brutalidade do crime e a impunidade contra os culpados e nos dizendo que a inflação acabou. "Que nunca neste país", como ele gosta tanto de falar, a paz reinou tão serena, o povo respirou ar tão puro, as perspectivas de uma vida solidamente melhor nunca foram tão presentes.
Tudo caminha para este infeliz terceiro mandato e só uma pessoa no mundo é capaz de evitá-lo: o próprio Lula. Mas duvido que ele, falso como tem-se demonstrado, manipulador, interesseiro, corrupto, egoísta, jamais irá querer parar de sentir o cheiro de mofo das velhas cortinas do Palácio. Deixar de dormir naqueles quartos imensos e mal-assombrados pela força do mal e do crime que ali se comentem contra o povo, as crianças, as mulheres, os tabalhadores, os pobres, os que sofrem.
Será que o Lula ainda consegue dormir em paz? Ainda pensa com sinceridade que faz de fato o bm para o Brasil e sua gente? Ele consegue ainda dissimular-se por dentro e enganar a própria alma em troca do poderzinho, dos jantares, dos passeios de carruagem? Coitado! Se vende por tão pouco.
Mas, por outro lado, quem melhor do que ele, uma vez que todos os que entram se corrompem, se consomem, se vendem. Ele conseguiu se transformar no melhor que tínhamos e no pior que temos. E assim será com todos. Pobres de nós, o povo brasileiro que ainda teremos que amargar por séculos contínuos de dor e miséria. Pois ainda vamos retirar o tapete e nos deparar com o lixo, então podre e fétido que este governo varreu, varre e varrerá para debaixo dele.
Pobre de nós, incautos, ingênuos e sem outra saída a não ser a da podridão, do descaso, do egoísmo e da incompetência. Com ou sem o terceiro mandato. Estamos fritos, segregados e condenados a sucumbir. Sendo o que sempre acontece com os covardes, os pequenos que não saem de sua zona de conforto e não têm coragem de ousar, de mudar nada... Nós bem que merecemos.
Antes de pensar em um novo mandato, o que seria o maior dos absurdos, com vistas a beneficiar a ele próprio e a sua gangue de novos privilegiados, o Presidente deveria era ler e aprender mais sobre moral, ética, responsabilidade política, honestidade, princípios, lealdade. Sei que o primeiro obstáculo é bem fácil de ser superado, basta a boa-vontade dele. Felizmente, nem tudo está perdido e o Brasil está repleto de cursinhos de alfabetização de adultos. Funcionam a noite e são, em sua maioria, gratuitos. Portanto, ele que trabalha tanto e que ganha tão pouco poderá, seguramente, frequentar de forma assídua e proveitosa, um deles, sem o menor problema.
Temos por tanto, uma luz no fim do túnel. É uma questão de aproveitá-la.

Antonio da Costa Neto